terça-feira, 10 de maio de 2011

UMA MENTE BRILHANTE

Raramente ouço ou vejo as suas arengas proferidas aos domingos na TVI, mas neste fim de semana dei comigo a ouvir o professor Marcelo, quase por casualidade. E fiquei espantado quando, na parte final do seu arrazoado, ele não se conteve e manifestou uma bacoca euforia por o “seu” Braga ter derrotado o Benfica e chegado á final da Liga Europa. Que manifestasse tal atitude numa conversa de café, nada seria de estranhar, pois teria todo o direito de o fazer; agora ali, num canal generalista de televisão, perante uma vasta e heterogénea audiência em termos ideológicos e culturais, entre a qual estavam, certamente, muitos benfiquistas, convenhamos que foi um procedimento inoportuno, pouco correcto e mesmo acintoso. 
E é esse indivíduo um professor universitário! Do que se pode concluir da qualidade do ensino, não tanto em termos técnicos como, e acima de tudo, educacionais e de valores, entre eles uma necessária isenção. Mas o professor Marcelo entenderá que todos somos estúpidos? Ou será ele próprio uma pessoa ingénua e crédula? Ele sabe muito bem que o feito do “seu” Braga só foi possível por uma circunstância pontual, mais por demérito do antagonista do que por mérito próprio e que, possivelmente, só voltará a acontecer daqui a mil anos. Ele sabe muito bem que a missão do seu dito clube não foi outra senão a de impedir que o Benfica  pudesse chegar á meta prevista, sendo um mero instrumento nas mãos de forças perversas e tenebrosas. Que júbilo poderá advir dum feito espúrio, quando já se sabe, de antemão, qual o resultado desse jogo final? Como é que alguém de boa formação mental poderá aceitar e rejubilar com um acontecimento viciado e com desfecho forjado? 
Porque o professor Marcelo é mais um dito intelectual que milita nas bandas da corrupção, que se acomoda aos seus ditames e não mexe uma palha sequer para a desmascarar, tratando os mentores da mesma como pessoas dignas e respeitáveis. Além de que, ainda por cima, tem manifestado, gratuitamente e nas mais diversas ocasiões, um dos mais irracionais e primários anti-benfiquismos. Será por moda que tão básico sentimento benfiquista não se coadunará com a sua mente brilhante? 
Porém, a parte mais ridícula da sua peroração aconteceu quando, em gesto solene e categórico, concluiu em jeito de irrevogável sentença, que a vitória do seu clube significava que a região de Braga tinha deixado, finalmente, de ser simpatizante do Benfica de forma maioritária. Na verdade, apetece-me ficar de boca aberta: - que cabeça!
Infelizmente só posso ficar agastado com a dura realidade, pois aí estão na final os dois clubes mais indignos de todo o futebol mundial. Um já se previa com muita antecipação e o outro, o Braga (mas quem, senhores?), muito embora e para sermos justos nada tenha feito de ilegal em toda esta eliminatória da Liga Europa é, contudo, uma agremiação que, no plano interno, já deitou mão das tortuosas práticas da corrupção e da violência. Por isso, que valor pode ter  um troféu destes? E o que se conclui disto tudo é que o Benfica, embora possa e pretenda ser um Clube diferente, nada conseguirá com tais posturas de integridade e honradez,  porque os da batota é que estão lá em cima e, o pior, é que  todos acham bem e aplaudem.




3 comentários:

Manuel Oliveira disse...

Estou plenamente de acordo consigo, caro RIVUS.

Cumps.

FireHead disse...

Mesmo assim vou acreditar que os aprendizes dos corruptos possam bater-lhes o pé. Não acredito que os portistas do Salvador e do Paciência, depois de todo o trabalho e mérito que tiveram para chegar a Dublin, ofereçam de mão beijada a Liga Europa aos corruptos.
Também não sou grande fã do Marcelo Rebelo de Sousa, mas sinceramente antes o Sporting de Braga que os corruptos. Seria de facto inédito para o Sporting de Braga e para a própria cidade bracarense.

Private disse...

Eheheheheheheh!
Carrega, Benfica!