segunda-feira, 1 de agosto de 2011

AVES, ANIMAIS E OUTROS BICHOS

Não tenho nada a ver com outros Clubes, nem mesmo quero, mas dado ser um acontecimento público e que passou nas televisões, não deu para o ignorar e apenas lhe vou tecer um pequeno comentário por via do seu ineditismo. Estou a referir-me á apresentação da nova equipa dos lagartos onde, fruto da macaquice duma risível e bacoca imitação, foi exibida, antes do jogo começar, uma pequena gaiola dentro da qual parecia rosnar um cachorro de leão, de gestos agressivos, talvez aborrecido por se ver preso e confinado a uma exígua e apertada jaula. Confesso que a achei uma cena tão caricata, tão hilariante e tão ridícula que ainda, nesta altura, não consegui parar de rir. Coitado do animal, digo eu, e não sei se todo esse quadro não estará mesmo fora da lei; fora do bom senso está, com certeza. Eu sei bem o que os esverdeados sardões pretendiam para que tal imitação pudesse corresponder, de forma mais fiel, ao ritual que é (ou foi) levado a cabo com o símbolo vivo do Benfica, a nossa águia Vitória. Esta, por ser uma ave e poder voar, irrompia  pelos céus da catedral da Luz, altaneira e livre, sem prejudicar quem quer que fosse e, por isso, eu gostaria e seria mais a propósito, de ver um grande leão, de farta juba, a passear cheio de imponência pelo relvado, antes de cada jogo que se efectuasse na Alvaláxia. Havia de redundar num espectáculo ingente e épico, com todos os sócios e adeptos desse Clube, amontoados e em pânico, a fugir de tão assanhada fera. Para tal não acontecer, o melhor seria substituir o leão por uma pequena lagartixa, porém, tal solução teria o inconveniente de ninguém a ver, mimetizada no tapete verde, correndo mesmo o risco de ser esmagada por alguma  mais que provável  e fortuita pisadela.
Por outro lado, acho que este gesto do clube do visconde configura um mau precedente, pois isto de imitações trazem sempre inesperados percalços e, se a moda pega, não tarda muito  que o grémio corrupto também não queira ficar atrás. Só que, nesse caso, será uma tarefa mais difícil de executar por se tratar de um bicho mitológico. No entanto, como essa escumalha faz tudo o que quer, estou a topar a solução. Á semelhança do que fizeram ao comprar a baliza dum determinado estádio, assim também eles poderão contactar um desses estúdios cinematográficos onde se constroem carcassas mecânicas de dinossauros, abomináveis homens das neves e dragões e vão fazer voar o fabuloso mostrengo pelo negrume do céu da pocilga do Freixo, bufando labaredas de fogo e agitando as nervudas asas em batidas compassadas e medonhas. Essa, sim, será uma contemplação dantesca, assombrosa, inenarrável e cósmica que provocará nos basbaques seguidores da Besta e nas sevandijas dos seus lacaios paineleiros uma bajouja e nunca vista admiração.
As labaredas sopradas pelo monstro teriam, porventura, uma vantagem; a de neutralizar o cheiro nauseabundo da corrupção que fede naquele cortelho imundo de Contumil e a de mascarar a flatulência mal-cheirosa do peidoso mentor do estercorário chiqueiro.
E agora … ala, que vou de férias; mas não tenciono parar.

3 comentários:

Carlos Alberto disse...

São mesmo parvos, se queriam imitar o MAIOR deitavam a velha do cabelo verde da cobertura cá para baixo.

P.S. Coitada da Sra. Dª Maria José Valério, tem piada mas ela não merecia voar, ainda se fosse o gajo do ACP...

Dylan disse...

Espectáculo degradante este do SCP. Quiseram mostrar o quê?!

Quanto aos donos do Freixo, suspeito que vão contrabandear um Dragão de Komodo (tal como fizeram com o marfim que deu à costa no Aeroporto F. S. Carneiro) mas que não passa dum vulgar lagarto! Até nisso têm consanguinidade com o SCP!

Boas férias.:)

FireHead disse...

Bem, os do Norte sempre podem ir à Indonésia buscar um dragão do Komodo...