sábado, 11 de dezembro de 2010

CONSIDERAÇÕES

A Benfica TV fez dois anos; pessoalmente  como benfiquista congratulo-me por ela ter sido posta no ar. Pelo menos já é uma voz, muito embora seja uma única voz a clamar, não propriamente num deserto, mas nas coutadas de numerosos inimigos. Entendo que, só por isso, já terá valido a pena ela existir.
Parece que o Presidente do Benfica deu uma entrevista á nossa TV e, pelas reacções dos meus amigos e companheiros benfiquistas, concluo que muito poucos gostaram do que ele proferiu nessa entrevista e eu também, depois de a ler, não fiquei especialmente cheio de entusiasmo. Há, de facto, uma verdade que se não pode escamotear; desde que LFV está no nosso Clube, a parte desportiva não tem sido famosa, pouco tendo melhorado nesse período. É certo que existiram vários condicionamentos de perniciosa influência, porém, mesmo assim e se tem sido organizada uma estratégia correcta, os resultados poderiam ser bem melhores. 
Não me sinto revoltado, apenas triste e desiludido; vou-me convencendo da realidade e aceitando o estado das coisas, esperando que elas venham a produzir os proventos que todos desejamos. Por isso, não atacarei o Benfica porque quem ataca alguém que está acossado e caído, será sempre um cobarde. 
Sou daqueles que, se puder ter vinte, não me contento com dez. Se o Benfica, no domingo, for porventura eliminado pelo Braga, a minha mágoa não resultará, propriamente, da eliminação em si, dado que, perdido o principal, o campeonato, qualquer taça que venha a ganhar, será sempre uma triste consolação. Se tal vier a acontecer, o que me irritará e deixará deprimido, será a razão de ser eliminado, ainda por cima em sua própria casa, pelo contendor que é, porque não posso conceber que um Clube como o Benfica, alguma vez e em caso algum, possa tremer, muito menos cair ás mãos de um clube secundário e inferior, pois é uma constatação, quer queiram quer não, que o Braga é e será sempre uma equipa da qual o nosso Clube nunca teve nem poderá ter medo; mesmo jogando mal, mesmo que atravesse um momento conturbado. Dir-me-ão: "… ah, mas isso será arrogância!" E onde está a reprovação? Porventura, se nos considerarmos melhores, não o poderemos legitimamente demandar e manifestar? 

3 comentários:

FireHead disse...

Amigo, mas isso é contra qualquer adversário! Mesmo contra lagartada ou corruptos, o Benfica não pode jamais ter medo, pelo contrário: tem sempre de entrar em campo com muitas ganas de ganhar os jogos! Essa é que é a verdadeira cultura do Benfica.
Quanto às taças, há de facto uma que o Benfica pode ganhar e que é suficiente para fazer esquecer a não conquista do campeonato: a Liga Europa. Para mim um troféu internacional (e oficial, como por exemplo uma extinta taça latina, ao contrário das extintas taças intercontinentais) sempre é melhor que um campeonato nacional.
Seja como for, ainda não é altura de deitarmos a toalha ao chão. Ainda falta toda uma 2ª volta. O problema é o sistema...

RIVUS disse...

Caro amigo FireHead, mas claro que sim: muito menos desses que cita: a lagartada, ainda vá, mas temer os Porkos, nunca, porque são uma raça vil. É evidente que a Liga Europa não entra nesse conceito interno que referi. Uma vitória na mesma salvaria, na verdade e com acréscimos, a nossa época. Mas, dadas as circunstâncias, não será pedir muito?

FireHead disse...

Nunca se sabe. Para ganhar é preciso lá estar. E ainda tenho a eliminação da época anterior bem atravessada na minha garganta. Tínhamos tudo para, quem sabe, vencer a Liga Europa... mas, não, Jorge Jesus preferiu o campeonato (com os erros cometidos em Liverpool repetidos no Porto; nós podíamos perfeitamente ter apostado uma segunda equipa contra a Naval, pois tínhamos plantel para isso) e acabámos, com a qualidade que demonstrámos na época passada, apenas por conquistar o campeonato e a taça da liga. A Liga Europa acabou por ir para o Atlético Madrid... de Quique Flores, quem diria...
Resta-nos acreditar. Pode ser que os jogadores voltem revigorados depois do Natal. E, convenhamos, faz esta época 50 anos que conquistámos o 2º título internacional (a taça latina, por muito que a queiram branquear, é um título oficial que antecedeu a antiga taça dos campeões europeus). Já está mais do que na hora de voltarmos a ser conquistador a nível internacional depois das 6 frustrantes derrotas em finais europeias (nem falo das intercontinentais que não eram taças oficiais).